26.12.05

O pensamento vivo de David Martyn Lloyd-Jones

Trechos do Doutor que me chamaram a atenção:
Frustrações dos humanistas
"Eu realmente fiquei assombrado ao ler num jornal, há dias atrás, a declaração de um homem que afirmou que, em meio a todo o sangue, o horror e a matança da última grande guerra, que naquele inferno ele tinha se tornado quase um ateu, e disse que Deus não existia. Vendo homens matando uns aos outros naquelas condições terríveis, ele sentiu que aquilo tudo era tão horrendo que a única conclusão a que podia chegar era que Deus não existia! Todavia, esse mesmo homem cria que a humanidade está gradualmente evoluindo para um tipo superior! O suposto fracasso de Deus se tornou base para sua crença no sucesso gradual do homem. Mas tais pessoas realmente não podem se apoiar nas duas suposições. 'A humanidade tem evoluído por milhões de anos'; eles dizem, 'para um tipo superior'; no entanto, entre 1914 e 1918 viramhomens agindo de forma tão brutal que chegaram a duvidar da existência de Deus". Sermões Evangelísticos, p.16.
O primeiro passo para se tornar um cristão
"O primeiro passo para alguém se tornar cristão, é cessar de ser esnobe, seja social, intelectual ou moral. Para obtermos a salvação, devemos buscá-la, e o que nos leva a buscá-la é a compreensão de nossa necessidade dela. Isso, na verdade, é o grande tema do Novo Testamento, é a lição ensinada ali vez após vez. O humilde encontra salvação, o orgulhoso e arrogante permanece de fora". Sermões Evangelísticos, p. 24.
A glória da pregação
"Para mim a pregação é a mais elevada, a maior e a mais gloriosa vocação para a qual alguém pode ser chamado". Pregação e pregadores.
Pregar não é fazer teologia
"É vital que tomemos consciência do fato que pregar não é fazer preleções sobre teologia, ou sobre qualquer aspecto da teologia". Pregação e pregadores, p. 48.
Indagações sobre a pregação
"Que é a pregação, pois? Imaginemos um homem de pé, atrás de um púlpito,a falar, e também pessoas assentadas em bancos, a escutar. O que está acontecendo? Do que se trata? por que aquele homem está de pé atrás do púlpito? Qual é o seu objetivo? Por que a Igreja o colocou ali para relizar tal ato? E por que aquela gente vem ouvi-lo? O que é que aquele homem tem o dever de fazer? O que ele está procurando fazer? O que ele deveria estar fazendo? ". Pregação e pregadores, p. 38.

2 Comments:

Anonymous Rodrigo Allan said...

Davi,
Parabéns pela iniciativa de falar de textos do Dr. Martin Lloyd Jones. Os pensamentos do Dr. são maravilhosos. Hoje estive na editora PES, a maior publicadora dos livros do mestre Jones.
Espero poder contar com muita coisa boa ai no blogger.
Tenho o meu também abra e comente.
http://melhorescoisas.blogspot.com

Um forte abraço.

Seu irmão

Rodrigo Allan

1:33 PM  
Anonymous Anônimo said...

Davi !

O que mais me impressiona da vida do querido doutor e do seu grande legado, foi sua constante busca em conhecer e fazer conhecido o seu amado redentor Jesus Cristo. Suas palavras finais nos seus últimos momentos são uma tremenda demonstração da sua intimidade com Jesus pois ele assim falou. "Não orem mais pela minha cura, não retenham de mim a glória de me encontrar com meu redentor ".
Realmente Lloyde Jones que enquadra na categoria dos homens dos quais o mundo não foi digno !

Forte abraço, Sebastião

7:52 PM  

Postar um comentário

<< Home